Livro – Teorema Katherine

Oie, tudo bem? Muitas pessoas costumam julgar o livro pela capa ou querer fazer uma previsão do que é a história. Realmente não tem nada de mais nisso, mas o problema surge quando aquela sua ideia até então sem noção vai te deixando furioso com a história. Quando tal coisa acontece, perdemos uma boa parte da profundidade do que lemos. Vale apena acrescentar também que John Green é um autor cheio de popularidade, e com ela vem as críticas positivas e negativas. A dica que fica então é ler os dois opostos para ter certeza de que não fez má escolha. Acredito que, quando se está lendo um dos maiores sucessos de Green, a pressão que é colocada sobre as palavras fica maior. Não quis dar o gostinho de perder tal maravilha e, assim como indico, li com a maior paz cada gráfico confuso, cada piada e cada decisão exoticamente adolescente 

cats

Por ser bem conhecido, acredito que você já tenha visto mil e uma versões sobre a história ou esteja intrigado com o que diz sinopse atrás do livro. Então, deixe-me esclarecer:

”Após seu mais recente e traumático pé na bunda – o décimo nono de sua ainda jovem vida, todos perpetrados por namoradas de nome Katherine – Colin Singleton resolve cair na estrada. Dirigindo o Rabecão de Satã, com seu caderninho de anotações no bolso e o melhor amigo no carona, o ex-criança prodígio, viciado em anagramas e PhD em levar o fora, descobre sua verdadeira missão: elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines, que tornará possível antever, através da linguagem universal da matemática, o desfecho de qualquer relacionamento antes mesmo que as duas pessoas se conheçam.

Uma descoberta que vai entrar para a história, vai vingar séculos de injusta vantagem entre Terminantes e Terminados e, enfim, elevará Colin Singleton diretamente ao distinto posto de gênio da humanidade. Também, é claro, vai ajudá-lo a reconquistar sua garota. Ou, pelo menos, é isso o que ele espera.” fonte

Tive uma sensação totalmente contrária á que esperava ter: acabei adorando, porém do meio ao fim. No início achei bem cansativo e não vi muita evolução na história. Vocês talvez já saibam que eu tenho uma curiosidade gigantesca, e o fato das pessoas sempre falarem que era muito bom mas nunca comentarem o porquê me fez continuar. Totalmente Green, a obra estende o romance á comedia com uma parcela de dados interessantíssimos. Não poderia deixar de falar também de como a história trás itens bem próximos de nós para o cenário onde se passa, tudo muito bem encaixado e dito. 

2-3

Como o próprio gênero textual sugere, os personagens desta vez são mais relaxados no quesito ”perfeição”, o que os tornou mais vivos.  Eles apresentam defeitos e qualidades marcantes que vão sendo mais exploradas ao longo da trama, ocorrendo algumas coisas bem surpreendentes. Colin e Hassan, de um mundo superficialmente diferente do de Lindsey, passam por situações que vão mostrar o que já deveria ter sido exposto e trazer novas conclusões. Com mais peças na cabeça, o garoto-prodígio vê que a verdade está em um avesso do que ele imaginava.

Os personagens estão com mais profundidade em seus atos. É claro que você vai morrer de rir com alguns, assim como se impressionar na revira-volta que é a trama. O livro mostra as sensações à flor da pele causadas pelos relacionamentos adolescentes e os anseios e defeitos que possuímos.

Juntamente com cálculos matemáticos mirabolantes, é possível enxergar muitas mensagens nas entrelinhas. As personalidades dos protagonistas foram criadas de maneira em que as conhecemos profundamente. Isso estabeleceu uma proximidade entre a nossa dimensão e onde tudo se passa, assim como a forma coloquial em que os textos são escritos. Green não perde sua marca de deixar sempre a mensagem marcada e perceptível, e no caso acredito que essas páginas nos mostram que é necessário se reinventar sem medo de fazer isso nem das consequências que enfrentaremos, além de que devemos buscar a nossa felicidade com coragem e não nos prender á ideias pré-moldadas. 

Vamos aos trechos que irão mostrar mais um pouco disso tudo:

”É possível amar muito alguém, ele pensou. Mas o tamanho de seu amor por uma pessoa nunca vai ser páreo para o tamanho da saudade que você vai sentir dela.”

”Eu serei esquecido, mas as histórias ficarão. Então, nós todos somos importantes – talvez menos do que muito, mas sempre mais do que nada.”

”[…] Colin sempre podia contar com os livros. Os livros são o melhor exemplo de Terminado: deixe-os de lado e eles o esperarão para sempre; dê-lhe atenção e sempre retribuirão seu amor.”

”- É que você fica o tempo todo se preocupando com o fato de deixar de ser prodígio ou de levar o fora de alguma namorada ou com sei lá mais o quê, e nunca, nem por um segundo, fica agradecido. Você foi o orador da turma. Você vai para uma faculdade excelente ano que vem, de graça. E daí que talvez você não seja uma criança prodígio? Isso é bom. Pelo menos não é mais criança. Ou pelo menos não era mais para ser.”

”Qual o sentido de estar vivo se você nem ao menos tenta fazer algo extraordinário?”

 ”Chorar é algo a mais: é você e as lágrimas. Mas o sentimento que Colin carregava era um macabro choro ao contrário. Era você menos alguma coisa.”

 “E pensou em Demócrito: “Em todo lugar o homem culpa a natureza e o destino, embora seu destino seja nada mais que o eco de seu caráter e suas paixões, seus erros e suas fraquezas.”

 “Se pudessem me ver do jeito que eu me vejo, se pudessem viver nos meus pensamentos, será que alguém, qualquer pessoa, me amaria?”

 “O futuro vai apagar tudo — não existe nenhum nível de fama ou genialidade que permita a alguém transcender o esquecimento. O futuro infinito torna esse tipo de importância impossível.”

Eu com certeza vou reler esse livro várias vezes para cada vez mais me prender nas palavras e expressões tão profundas, belas e intrigantes.

4-5

Dou nota ★★★★★ para esse livro que é um grande sucesso merecidamente, e o indico garantindo boa diversão e reflexões sobre os textos. 

E aí, já leu? O que achou do livro? Quer sugerir algo? Fale para mim no twitter ou nos comentários (mas gente evitem spoilers aparentes, por favor). Espero que gostem *-*

Beijos, micoelho

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s